Reflexões

ANJOS NA TERRA

Texto escrito em Homenagem a Liliane Ribas e a todas as pessoas que se dedicam incansavelmente à cura dos outros.

Com tantas providências a se tomar para que a vida tome seu curso em escala terrestre, temos que ter a mão forte que açoita a terra no arado, a delicadeza que costura o pano e veste a dançarina e a mente brilhante de quem dos excessos cria a cura.

E na roda viva que chacoalha todas as almas entre a alegria e a escuridão alguns de nós se descarrilham e caem lassos pelo chão sob a penumbra.
Nessas noites sem lua existem anjos que deixam o calor caseiro da mesa farta para enfrentar o frio noturno e resgatar essas almas.

Esses profetas da esperança, incansáveis, vieram ao mundo sem os calos grosseiros da pega da inchada ou a destreza da costura.
Esses guerreiros da noite trouxeram suas lamparinas morais, que além de trazer luz para esse mundo cheio de sombras, ainda alimentam impulso quase irresistível para o bem.

Você é um desses anjos na Terra, Lili. Não mais nobre que qualquer ser humano pelo nascimento, você se eleva pela sua obra. Silenciosa e farta de si, você não clama os holofotes porque emite sua própria luz. Você não fala às multidões porque precisa canalizar a cura de cada alma na infinita solidão de cada íntimo… Pois os curados que multipliquem suas virtudes despertadas e que, assim, façam de você várias!

A esses anjos, muita sabedoria para se nutrirem do valor que só o Cosmos pode dimensionar. Que os momentos de anonimato não se confundam com abandono, e que jamais seja esquecido o impulso original.

Que o universo te abençoe com muita sabedoria, porque sem ela todo o resto é sem valor.

E que eu possa retribuir o bem sem medida que faz a mim e aos meus irmãos e irmãs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *