Na prática

FONTE ÚNICA DE VERDADE

Já conversamos sobre a importância da análise de dados no contexto escolar, sobretudo em tempos de professores acumulando 700 alunos em seu diário de classe, o que significa acompanhar 700 histórias (!).

Agora vamos entender o que é uma FONTE ÚNICA DE VERDADE.

Apesar do nome emblemático, Fonte Única de Verdade é uma coisa simples. É o local oficial de armazenamento de informações que uma comunidade ou uma série de processos acessa, colaborativamente.

Sabe quando a gente tem uma agenda de papel em casa, a agenda do celular e a nossa lista de contato de e-mail? Aí, quando a gente vai ligar para alguém, não sabe qual é o número que está valendo? Isso é um exemplo de quando a gente NÃO TEM UMA FONTE ÚNICA DE VERDADE.

Para se ter uma fonte única de verdade, as informações “oficiais” precisam estar em um lugar só. Por mais que a gente gere cópias, a informação válida precisa ser uma só.

Um exemplo bastante comum em que uma fonte única de verdade faz falta é a escrita de documentos a 4 mãos. Imagine que a gente envia a versão 5 da nossa tese de mestrado e nossa orientadora corrige a versão 4 (!).

Muitos já passaram o constrangimento de começar uma apresentação e ver na tela um erro que já tinha sido corrigido, mas em outro documento salvo em outro lugar.

Resumindo, para trabalhar com dados, precisamos ter uma FONTE ÚNICA DE VERDADE. Nos casos em que nosso trabalho é colaborativo, ou seja, nas situações em que outros professores vão trabalhar com a gente no mesmo projeto, a fonte única de verdade precisa ser a primeira premissa!

Experimente usar o Microsoft Teams para estabelecer esse “espaço” de compartilhamento e colaboração. Com ferramentas como o Teams é possível que todos os educadores envolvidos em um projeto escrevam NO MESMO DOCUMENTO. Isso também vale para estudantes trabalhando em grupo ou compartilhando seus aprendizados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *